Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bibliotecas Escolares de Alcochete

"Juntos aprendemos mais"

Bibliotecas Escolares de Alcochete

"Juntos aprendemos mais"

Leitura Secundário

Os guardiões do Louvre - Jiro Tanigouchi

Taniguchi instalou-se durante um mês no Louvre, em Maio de 2013, para se imbuir do espírito do santuário da arte. Um desenhador japonês de passagem por Paris visita o Museu do Louvre e encontra uns guardiões “misteriosos”, entre os quais a Vitória de Samotracia e artistas como Vincent Van gogh, Corot, Asai Chû descobrindo assim uma outra história do museu, vista a partir de um limbo onírico, entre o sonho e a realidade.

“É uma obra estranha, daquelas que convidam a uma aventura íntima e interior, que revoluciona a nossa relação com os grandes Mestres da arte.”
– Alexis Seny – Branchés culture

Melhor Argumentista e desenhador Angoulême 2003 e 2005.
Prémio Clássicos da Nona Arte Amadora BD 2015.

Proposta leitura - Secundário

As lendas nórdicas sempre tiveram uma forte influência no universo de Neil Gaiman. Em Mitologia Nórdica, o multipremiado autor regressou às suas fontes para criar quinze contos relacionados com a grande saga dos deuses escandinavos, que inspiraram a sua obra-prima Deuses Americanos. Da génese do mundo ao crepúsculo dos deuses e à era dos homens, eles readquirem vida: Odin, o mais poderoso dos deuses, sábio, corajoso e astuto; Thor, seu filho, incrivelmente forte mas turbulento; Loki, filho de um gigante e irmão de Odin, ardiloso e manipulador... Orgulhosas, impulsivas e arrebatadoras, estas divindades míticas transmitem-nos a sua apaixonante - e muito humana - história.

Leitura secundário

BD - O Legado de Júpiter - Livro 1: Luta de Poderes

Chloe e Brandon são filhos dos maiores heróis do mundo.
Será que estão à altura do seu legado?

Em 1932, a busca por uma misteriosa fonte de energia e poder leva Sheldon Sampson, bem como o seu irmão Walter e um pequeno grupo de companheiros, numa viagem arriscada a uma estranha ilha perdida. Décadas mais tarde, Sheldon e Walter tornaram-se em super-heróis celebrados por todo o mundo. Mas uma nova geração de super-humanos tem de seguir os seus passos, e a missão anuncia-se difícil... sobretudo quando dois lados da família iniciam uma luta terrível pelo poder. Quanto tempo poderá o mundo sobreviver a uma guerra entre seres super-poderosos?

 

Dia Internacional dos Museus

uma visita virtual ao Convento de Cristo

convento de cristo.png

O inicio do Convento de Cristo dá-se após a reconquista de Santarém em 1147 por D.Afonso Henriques, com o repovoamento da zona do ribatejo. A construção do Castelo Templário em 1160 enquadra-se nesta linha defensiva natural que era o Tejo. De seguida foi construída a Charola original romanica. A ordem dos templários é dissolvida entre 1307-1312, e D.Dinis nacionaliza-a dando-lhe o nome de Ordem de Cristo em 1319. O Convento irá sofrer importantes ampliações durante os séc. XV e XVI, as quais vemos actualmente sob a forma do actual corpo rectangular da Igreja. Em 1529 no reinado de D.João III dá-se a restruturação do Convento, e Frei António de Lisboa manda mestre biscaino João de Castilho construir um novo claustro (1530-1565) onde actualmente vemos o claustro renascentista (1557-1580) projectado por Diogo de Torralva e alterado por Filipe Terzi em 1587 durante o reinado de Filipe II. João de Castilho trabalha aqui até à sua morte em 1553, construindo os claustros da Hospedaria, Micha e Corvos, e os aposentos do Convento.

http://santarem.360portugal.com/Concelho/Tomar/ConventoCristo/?fbclid=IwAR0C_hnsJ5aSYlKsgmqKc7-EpGoPDCypwi4hl0_gQNAtN1WA4YtiO_wpbbU

Sugestão leitura - secundário

Hoje celebra-se o dia da Língua Portuguesa. Para homenagear todos aqueles que a cuidam e enobrecem, aqui fica uma coletânea de contos de alguns dos mais conceituados autores em Língua Portuguesa.

"Língua Mátria junta mais de uma dezena de contos inéditos, de autores de todos os países lusófonos. Em celebração do Ano da Colaboração, espelham-se lugares e imaginários da lusofonia e abrem-se caminhos para pensar, sentir e agir.

Num só livro, reúne-se um conjunto de perspetivas e interpretações do que é pensar e escrever em língua portuguesa, um pouco por todo o mundo. Com uma grande variedade de temáticas, misturando questões familiares para o leitor, novas experiências e interpretações." (in, wook)

 

 

O livro de Cesário Verde

 

Cesário Verde nasceu em Lisboa, a 25 de fevereiro de 1855 e faleceu a 19 de julho de 1866. 

No seu estilo delicado, Cesário empregou técnicas inpressionistas, com extrema sensibilidade ao retratar a cidade e o campo, que são os seus cenários predilectos. Evitou o lirismo tradicional, expressando-se de uma forma mais natural. 

A observação das situações do quotidiano é o ponto de partida preferencial para os poemas de Cesário Verde. É o mundo real, rotineiro, que é retratado e analisado, servindo de suporte às ideias e sentimentos do poeta.

Os sujeitos poéticos criados por Cesário Verde são atentos ao que se passa. Aquilo que para outro transeunte seria uma banalidade é, na perspectiva do poeta, parte de um quadro do real.  (in Wikipédia).

"Ao contrário da prosa de Eça, de Ramalho ou de Camilo, a sua poesia ...é de tal forma revolucionária que parece vir de outro planeta. As circunstâncias históricas e pessoais são incapazes de explicar a sua voz: é isso que o torna genial."

Maria Filomena Mónica

https://ensina.rtp.pt/artigo/o-livro-de-cesario-verde/

Fonte: RTP Ensina

Conteúdos Relacionados:

https://www.escritas.org/pt/cesario-verde

http://alfarrabio.di.uminho.pt

https://pt.slideshare.net/tonia.m/cesrio-verde

 

 

 

 

O ano da morte de Ricardo Reis

Por impossibilidade de nos deslocarmos a uma livraria para adquirir mais uma das obras de leitura obrigatória para o 12º ano,  O ano da morte de Ricardo Reis, de José Saramago, deixamos um link com o PDF. Claro que estamos cientes de que que só um momento como este, nos leva a sugerir este formato de leitura.

Dsejamos uma boa leitura.

https://livros-online.com/ler-o-ano-da-morte-de-ricardo-reis-jose-saramago/

Sugestão de leitura da semana - secundário

 

A Farsa conta a história de Candidinha, uma velha marginalizada pela sociedade, que decide, sob a farsa da submissão e da simpatia, promover a discórdia, o ódio e a maldade entre aqueles que a rodeiam.

Há existências inúteis, para quem a vida se reduz ao estreito âmbito formado pelas paredes que as cercam. Vivem por hábito. "Sabem apenas exprimir-se com seis palavras rançosas. São um misto de papelada, de números de ideias estúpidas e vãs, de frases gastas e falsas."

Aqui vos fica, como sugestão de leitura, A Farsa, de Raul Brandão. Um dos escritores portugueses que melhor retratam a sociedade do seu tempo. Leiam e disfrutem da escita deste grande vulto da literatura portuguesa. Aceda ao site e faça o Download do texto integral.

https://www.luso-livros.net/Livro/a-farsa/